• Relacionamento

    Só queria mais uma chance

    Eu queria ter me despedido de você. Pelo nosso bem, devia ter dito muito mais que um adeus ou até breve. Queria ter falado que amo você, sempre amei. Num abraço apertado, sussurrar o seu nome, devagarinho, no seu ouvido e completar com um sonoro EU TE AMO. Assim em maiúsculo mesmo. Para todo mundo da nossa rua ouvir. Para ninguém ter dúvidas. Principalmente você e eu. Naquela semana, sei que não me comportei bem. Ignorei você, sumi e mais que isso… queria fazer desaparecer do meu coração aquele famoso sentimento de posse, de ciúme. Não sou assim. Você sabe! Acho que vou escrever uma carta pra você. Contar tudo…

  • Relacionamento

    Beijos de Carnaval

    Aqui no Recife há um bloco chamado “Não acredito que te beijei”. E geralmente é assim mesmo depois do Carnaval. Passada a animação e o calor do momento proporcionado pelos dias de folia, a ficha cai. Aquele garoto que ali no sobe e desce da ladeira parecia tão irresistível de repente perde o encanto. A fantasia de herói simplesmente perde o sentido. Os palhaços, Pierrots e Colombinas saem de cena. Os confetes são varridos do salão. A vida vai acontecendo e nos convocando à realidade.

  • Crônicas

    No teatro

    (No teatro) Casa cheia, espetáculo prestes a começar. – Com licença. E a moça continua a falar sem prestar muita atenção.  Apenas querendo se sentar com brevidade. – É a fila E? Sabe se aquela é a cadeira 9? Um senhor muito bem acomodado em sua poltrona responde apenas… – Sim, pode passar. A moça se vira em direção a ele para agradecer e passar pelo apertado corredor do teatro. – Ah, ok, muito obrigada. Olha em direção ao senhor e percebe que se trata de um prestigiado cantor e ex-ministro. Fica sem graça por tê-lo perturbado e segue em direção à cadeira 9, da fila E.   Outubro de…

  • Resenhas

    Tinderela: a procura do amor na era digital

    Ela. Cinderela. Tinderela. Rafaela. Poderia ser você ou eu, mas é a Rafaela. Uma enfermeira no Hospital Beneficiência Portuguesa, que seguia como tantas de nós a sua rotina em modo automático, exaurida. Sem tempo para o amor (?!) ou pelo menos sem tempo para buscá-lo por aí. É quando, durante um plantão na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, observa a amiga fisioterapeuta Mariana sorrindo enquanto mexe no celular. Era o Tinder. Quem aí como elas só pensa em trabalho e mal tem tempo de checar as redes sociais? Depois de ver a Mariana se divertindo, Rafaela decide perguntar à amiga médica cardiologista Guilhermina, divorciada, 52 anos, o que acha do…

  • Resenhas

    O Diário que Minha Mãe Não Leu

    Minha leitura neste final do ano foi de uma obra que recebi para resenha da jornalista pernambucana Manuella Antunes. “O Diário que Minha Mãe Não Leu” é uma nova significação para os textos que a Manu publicava despretensiosamente online e também para as suas próprias memórias. A cada página, percebemos o quão transformadora foi e tem sido a sua jornada. É também a representação de uma mulher jovem na nossa sociedade contemporânea. Manu é livre e a sua escrita nos mostra exatamente isso. A sua busca pela liberdade, pela expressão, pelo amor (principalmente o amor próprio), a paz e a sabedoria. E, afinal de contas, não é tudo que isso…

  • Relacionamento

    Ainda somos amigos

    Não quero te forçar a seguir por um caminho que nitidamente você nunca quis. Não deve ser o medo de me perder a razão de você só agora querer fazer algo diferente. O meu sentimento por você não vai mudar. Vou continuar gostando muito de você. Respeitando e admirando. Independente das nossas escolhas pessoais, individuais. Se quer saber, sim, ainda poderá contar comigo. Não vou desaparecer nem deixar de responder suas mensagens. Se é isso que mais o preocupa. Ainda somos amigos.