• Resenhas

    Tinderela: a procura do amor na era digital

    Ela. Cinderela. Tinderela. Rafaela. Poderia ser você ou eu, mas é a Rafaela. Uma enfermeira no Hospital Beneficiência Portuguesa, que seguia como tantas de nós a sua rotina em modo automático, exaurida. Sem tempo para o amor (?!) ou pelo menos sem tempo para buscá-lo por aí. É quando, durante um plantão na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, observa a amiga fisioterapeuta Mariana sorrindo enquanto mexe no celular. Era o Tinder. Quem aí como elas só pensa em trabalho e mal tem tempo de checar as redes sociais? Depois de ver a Mariana se divertindo, Rafaela decide perguntar à amiga médica cardiologista Guilhermina, divorciada, 52 anos, o que acha do…

  • Eventos

    Profissão Youtuber

    Estava sentindo falta do cheirinho de sala de aula e me inscrevi em três cursos de extensão na Maurício de Nassau. Pensei que poderia me ajudar no blog e me animar ainda mais nessa fase (?) blogueira. Então, escolhi os temas Marketing para jovens empreendedores, Divulgue seus produtos nas redes sociais e Profissão Youtuber. Vou fazer um resuminho da aula que até agora mais me animou: Profissão Youtuber. Em uma garagem em São Francisco, nos Estados Unidos, alguns amigos se juntaram despretensiosamente (?) para fundar o Youtube, em fevereiro de 2005. O objetivo era compartilhar vídeos com amigos mais facilmente. Enviar por e-mail, muita vezes, não funcionava. No ano seguinte,…

  • Resenhas

    A mágica da arrumação

    Não, eu não sou uma pessoa organizada. Talvez por isso minha amiga tenha me presenteado com o livro “A mágica da arrumação”, de Marie Kondo. Na dúvida, não me arrisquei perguntar. A autora diz que no Japão as pessoas acreditam que manter um quarto e um banheiro bem arrumados costuma trazer sorte. O livro alerta para a necessidade de se desfazer de objetos. Assim, o descarte deve ser o primeiro passo para o início da faxina geral. Outra dica é que arrumar um pouco de cada vez não vai solucionar o problema. Em vez de organizar por ambiente, faça-o por categoria, uma vez que guardamos objetos – tais como livros…

  • Relacionamento

    1 ano

    Há exatamente um ano nasceu o Histórias e Emoções. Uma brincadeira. Um hobby. Um passatempo que só me traz alegrias. Com ele, tenho a possibilidade de criar. Imaginar. Refletir. Fazer novos amigos. Levar amor. Nasceu com a vontade de colocar para fora manuscritos perdidos em folhas de caderno. Quem nunca?! De expor pensamentos e de interagir mesmo com quem está longe ou com o desconhecido. Sim. Já tive outras tentativas de manter um blog. Já quis escrever sobre turismo, sobre a minha terra e lugares distantes. Tentei até mesmo falar sobre Direito. Mas há um ano a minha língua é o amor. Afinal, esse deveria ser o sentimento que move…

  • Relacionamento

    Vigor Frágil – Parceria

    É com muito carinho que anunciamos nas comemorações do primeiro aninho do blog Histórias e Emoções o início de uma parceria linda com o Vigor Frágil, da Grazielle Scharenberg. Vigor Frágil é só amor e tem tudo a ver com o nosso conceito Sigam as redes sociais: Blog: www.vigorfragil.com.br Instagram: www.instagram.com/vigorfragill www.instagram.com/graziellevs Facebook: www.facebook.com/vigorfragil www.facebook.com/graziellevs Pinterest: www.pinterest.com/vigorfragil

  • Resenhas

    A Menina do Vale

    A Menina do Vale, escrito e distribuído gratuitamente pela Bel Pesce, traz algumas lições simples – em uma linguagem fácil e de rápida leitura – sobre o empreendedorismo. “A humildade faz com que você cresça. A arrogância te atrasa.” Essa é pra mim uma de suas melhores frases. Mas a Bel aconselha também sempre a escolha do time baseado em critérios como respeito, admiração e confiança. Sobre o plano de negócios, o tempo empregado pensando sobre a ideia/projeto é o mais importante. “O plano de negócios deve ser tratado como um documento vivo, sempre em evolução. Quando o negócio e o mercado evoluem, é uma boa ideia atualizar o plano.”…

  • Resenhas

    O Diário que Minha Mãe Não Leu

    Minha leitura neste final do ano foi de uma obra que recebi para resenha da jornalista pernambucana Manuella Antunes. “O Diário que Minha Mãe Não Leu” é uma nova significação para os textos que a Manu publicava despretensiosamente online e também para as suas próprias memórias. A cada página, percebemos o quão transformadora foi e tem sido a sua jornada. É também a representação de uma mulher jovem na nossa sociedade contemporânea. Manu é livre e a sua escrita nos mostra exatamente isso. A sua busca pela liberdade, pela expressão, pelo amor (principalmente o amor próprio), a paz e a sabedoria. E, afinal de contas, não é tudo que isso…