• Resenhas

    Essa luz tão brilhante

      “Como é que num dia uma pessoa é um componente de decoração na casa (uma mesa bacana, talvez) e no outro passa a ser os canos, a fundação, a viga central sem a qual toda a estrutura desaba? Como é que uma estrela que mal se nota se transforma no sol?” Adoro ler livros tristes. Mesmo! Gosto de me comover com as histórias. Derramar lágrimas. Sentir a dor do personagem. Cair. Sou doida?! Talvez. Mas gosto de vivenciar as faces do amor em seus altos e baixos. Em “Essa luz tão brilhante”, a vida pode nos surpreender. A generosidade humana também. A amizade sem interesses. E o amor juvenil…

  • Relacionamento

    Ainda somos amigos

    Não quero te forçar a seguir por um caminho que nitidamente você nunca quis. Não deve ser o medo de me perder a razão de você só agora querer fazer algo diferente. O meu sentimento por você não vai mudar. Vou continuar gostando muito de você. Respeitando e admirando. Independente das nossas escolhas pessoais, individuais. Se quer saber, sim, ainda poderá contar comigo. Não vou desaparecer nem deixar de responder suas mensagens. Se é isso que mais o preocupa. Ainda somos amigos.

  • Resenhas

    Resenha – Confissões de uma trintona descolada

    Participo de um grupo no Facebook (Resenhando nacionais – Traduzindo em palavras) e a ideia é ler e, obviamente, como o nome sugere produzir resenhas de autores brasileiros. A primeira obra que fui conferir foi “Confissões de uma trintona descolada”, da Fiona Mayer. Aliás, é o primeiro ebook que leio e a minha primeira aquisição na Amazon. Eu sei… demorei! Gosto de ter o livro em mãos, mas confesso que a experiência de ler no tablet também foi ótima e terminei a história rapidinho, em duas tardes. A Fiona Mayer descreve a história de uma mulher moderna. Bota moderna nisso (rsrsrs). Ela tem um marido, um namorado e um amante.…

  • Relacionamento

    Tic tac

      1h Tic tac. As horas se arrastam até eu te ver pela próxima vez. 2h Tic tac. Como eu queria te abraçar mais uma vez. 3h Tic tac. Guardo o teu sorriso na minha memória. 4h Tic tac. O teu cheiro consigo sentir ainda que não estejas aqui. 5h Tic tac. O que você me falou não sai da minha cabeça. 6h Tic tac. Lembra aquela música? Quero dançá-la com você. 7h Tic tac. Ainda aguardo aquele jantar especial. 8h Tic tac. Nosso álbum ainda precisa ser feito. 9h Tic tac. Quero te ouvir falar sobre os novos projetos. 10h Tic tac. Deixa eu ser tua melhor companhia. 11h…

  • Eventos

    Oficina cartonera

      Há algum tempo queria descobrir como se faz um livro de forma artesanal, a chamada edição cartonera. Eis que durante a Semana do Livro de Pernambuco tive a oportunidade de participar de uma oficina com o escritor Wellington de Melo, da Mariposa. Os livros são feitos com capas de papelão reutilizado. Tudo produzido de forma única, artesanal e especial. Misturamos cores, pincéis e estilos e cada aprendiz saiu da oficina com uma antologia “Inquebrável” com capa diferente. Para confeccionar a minha, usei o azul, o vermelho e preto. Também fiz uma colagem na contracapa. O movimento cartonero nasce na Argentina em 2003 e tem a Eloisa Cartonera como o…