Resenha – Muito mais que 5inco minutos – Kéfera Buchmann

maxresdefault

Eu leio de tudo. Tudo mesmo! Se passar por uma livraria e for atraída por uma capa ou simplesmente o livro me chamar a atenção por estar entre os mais vendidos já aumenta a chance de querer adquirir o exemplar e levar pra casa. Fico curiosa. Tento descobrir o sucesso por trás da obra, o motivo que fez tantas outras pessoas quererem ler. É claro que também leio os clássicos, mas isso não vem ao caso agora.

Há uns meses comprei o livro da Kéfera Buchmann. Você provavelmente deve conhecê-la se acompanhar os famosinhos do You Tube. O título é Muito mais que 5inco minutos. Ok. Só isso já me chamou a atenção. O que você faz em cinco minutos? A Kéfera faz vídeos e ganhou fama justamente com um canal chamado 5inco Minutos. A ideia era postar vídeos curtos. Hoje, o canal já alcançou mais de nove milhões de inscritos.

A Kéfera é super jovem. Nasceu em 1993 e mora em São Paulo. É daquelas que não tem “papas na língua”. Diz o que pensa. É desbocada e sem cerimônia. Eu, particularmente, não a conhecia antes do livro.

Se coleciona fãs, também atrai haters e, para eles, traz um recado logo no início do livro. “Se já não gosta de mim, feche o livro imediatamente. Porque se já me odeia, vou te dar ainda mais motivos para isso.”

Kéfera, não deve ser fácil mesmo! É muita gente te seguindo, te curtindo, te criticando.

A menina Kéfera, como muitos e muitos de nós, já sofreu bullying. Na escola, claro. Foi chamada de “bolinha” e “quatro olhos”. Chorou e odiou ir para a escola. E nunca foi a mais enturmada. Ser diferente e não seguir padrão ou as expectativas pode mesmo trazer muitas dificuldades na vida.

“Eu fui pelo caminho mais doloroso. Tentei ser outra pessoa antes de ser eu mesma.” Ela conta que todas essas tentativas faziam a vida dela virar um inferno. Quem nunca? A grama do vizinho sempre parece mais verde que a nossa, mas a verdade é que na maioria das vezes é só isso mesmo… apenas parece.

É preciso sempre erguer a cabeça e seguir em frente. Ao final do livro, a Kéfera agradece a todos aqueles que sempre duvidaram dela. Esse foi o combustível que a fez ir sempre além nos seus sonhos. E pensar que tudo começou dois meses depois da Copa do Mundo de 2010 quando a Kéfera expressou toda a sua irritação com a vuvuzela, aquela corneta que fez sucesso na África do Sul durante os jogos. Moral da história: faça o que te dá prazer, não importa a opinião alheia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *