Ainda espero te encontrar

Ainda sinto o sabor do teu beijo. Quente e molhado. Nos beijamos ali perto do coreto, na pracinha. Éramos duas crianças.

Você cresceu e mudou de cidade. Nunca pude te visitar. Mas teu endereço repousa em uma anotação acima da cômoda no meu quarto.

Sinto tua falta. Nunca me explicasse porque tua família mudou tão depressa. Talvez nem tu mesmo tenhas compreendido isso naquele outono que foi o pior da minha vida.

Ainda espero te encontrar.

IMG_3914 via photopin (license)
IMG_3914 via photopin (license)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *